Autoria e Data



João é o único que se identifica como autor do evangelho que leva seu nome (João 21.20-24)


Aproximadamente entre 95 e 98 d.C. (A historia conta que no ano 98 d.C. ocorre a morte deste discípulo de Jesus, por causas naturais e avançado em idade).


Propósito


Demonstrar que Jesus é o Filho de Deus (João revela o perfil Divino de Jesus).


Refutar as pregações heréticas de Ebion e Cerinthus (opositores ao cristianismo na época de João), pregavam que Jesus não era divino, mas que o Espírito Santo esteve com ele somente no período compreendido entre o batismo e a morte na cruz, portanto, o Cristo se mostrou apenas neste intervalo para que o povo Hebreu se voltasse à Lei (esta é uma visão gnóstica do Cristo), João refuta esta heresia (João 20.31)


Ebionitas – Judeus que aceitavam que Jesus era o messias anunciado na lei e predito pelos profetas e sua missão tinha sido reconduzir o povo Judeu à fiel observância da Lei, não aceitavam sua divindade e nem seu nascimento virginal e ainda diziam que Jesus era filho de um soldado romano.


Esboço


I. Prólogo – O verbo (1.1 - 18)


II. Sinais (inicio do Ministério de Jesus, sinais e discurso) - (1.19 até 12.50)


III. O grande sinal – (13.1 até 20.29)


IV. Epilogo – (20.30 até 21.25)






Destaques


João coloca em evidencia a divindade de Jesus, que é afirmada em uma série de pronunciamentos


• “Eu sou o pão da vida” (6.35)


• ”Eu sou a luz do mundo” (8.12)


• ”Eu sou a porta” (10.9)


• ”Eu sou o bom pastor” (10.11, 14)


• ”Eu sou a ressurreição e a vida” (11.25)


• ”Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida” (14.6)


• ”Eu sou a videira verdadeira” (15.1)



Curiosidades


• O evangelho de João é o único a relatar o primeiro milagre de Jesus: a transformação de água em vinho (2.1.- 11)


• Três importantes discursos de Jesus:


           Com Nicodemos (cap. 3)


           Com a Mulher Samaritana (cap. 4)


           Discurso final aos discípulos antes da crucificação (Cap. 12.23-50)


• O evangelho de João não registra nenhuma parábola de Jesus.


Apesar de aparecer o termo em João 10.6 e João 16.25, 29, na verdade a tradução correta nesses casos é “provérbio”


• O livro inicia-se traçando um paralelo ao livro de Genesis, e remete a existência de Jesus à eternidade.


Palavra Chave


Vida (10.10)